Início

A Viola

Afinações

Agenda

Biblioteca

Blog do Angelim

Cifras

Discografias

Encordoamento

Fogão à Lenha

Fotos

Links Interessantes

Luthieria

Mestres Poetas

Mestres Professores

O Sagrado e o Profano

Porta Aberta

Rio Abaixo

Tablaturas

Videoteca

Violas, Minhas Violas

Violeiros

Viola caipira, viola serena, viola de arame, viola brasileira, viola de pinho, viola cantadeira, viola pantaneira, viola de dez cordas, viola cabocla, viola sertaneja, viola nordestina, viola tropeira, viola de queluz, viola campeira, viola.

 

Vários nomes. Um sentimento. O amor ao som do Brasil. Ao som da terra. Terra do norte, do centro e do sul. Terra do interior.

 

 

 

A viola brasileira tem suas raízes nas antigas violas portuguesas, instrumentos com corpo em forma de oito e com ordens duplas ou triplas de cordas.

Apesar do que muitos pensam a viola portuguesa não tem suas origens no violão, mas na espanhola vihuela, filha direta de instrumentos árabes, como o alaúde.

Chegaram ao Brasil trazidas por colonos portugueses e foram utilizadas durante muito tempo pelos jesuítas durante o processo de catequese de nossos índios.

Com o passar do tempo, as violas amarantinas, braguesas e todas as suas irmãs lusitanas foram adquirindo características próprias nas mãos de nossa gente e criando, assim, a base de sustentação das raízes de nossa música caipira.

 

Viola Amarantina

Viola Braguesa

Vihuela

Alaúde

Cabeça, Mão ou Paleta

Pestana ou Capotraste

Tarraxas ou Cravelhas

Trastes

Tróculo (Junta do Braço)

Braço

Cavalete

Rastilho

Corpo

Lateral ou Faixas

Escala

Fundo

Abertura ou Boca

Roseta

Tampo

Leque Harmônico ou Alma*

Roseta*

Barras Transversais e

Tróculo, visto de dentro*

*Fotos gentilmente cedidas pelo irmão violeiro, João Brazílio

Angelim

Conheça o livro

Roda de Viola

Armazém do

Angelim

Produção